quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Não resisti




Celular em punho, bati os olhos nessa imagem. Um máquina bem velhinha, caquética mesmo, esperava, pacientemente por seus 15 minutos de fama, num canto do sítio de um amigo. Parede verde-pistache no fundo, banquinho de ardósia, chão de cimento queimado, não preciva de mais nada. Mas o amigo gostou das frutinhas fake que estavam perdidas no canto do fogão e da rosa fake que repousava solitária sobre a mesae juntou tudo. Aí o sol, esse nosso esplendor divino, resolveu descer a serra exatamente nesse instante e me deu de presente esse arranjo cultural. Não resisti: cliquei. Com a luz naturalmente pefeita, tudo se harmonizou. Bendito seja quem inventou o celular com câmera. A foto, claro, divido com vocês, dando à máquina velha da Dona Lourdes os seus minutos de glória aqui no bloguito e muitos anos de vida na parede do meu apê.  Não é um luxo?

2 comentários:

Blog da Lili disse...

Gentes, receber e-mails de queridas pessoas e ainda por cima com depoimentos como esse que vou postar aqui, não tem preço. É da minha colega de profissão e orgulhosamente amiga, Maria Antonieta. Velu, Antu!
"Ahhh!
Há 26 anos nascia meu caçula e minha Mamãe ganhava de meu avô seu primeiro micro-ondas (agora é separado, não?). Enorme, todo fumê, que nem esses carros que a gente não enxerga nadica dentro. Vidro da porta todo quadriculado quando a luz se acendia. Uma cccoiisaaaa! Cidade pequena, interior... A vizinhança fazia fila pra ver a novidade.

Meu filho vai crescendo e a gente aprendendo a usar o dito cujo. Nas idas à casa da avó o melhor era esquentar a mamadeira. Ele, pequeno, já demonstrava o gênio. A mãe toda solícita aquecia a mamadeira no fogão e levava para o pequenino que as encostava na bochecha e devolvia e dizia: quente ou fria! "Quelo morninha"! E o micro-ondas fazia tudo no ponto. Nem mais nem menos. Minutinho ajustado e ZÁZ! maravilha da tecnologia! E pensar que minha tia que morou nos EUA em 1965 já desfrutara e contara dessas benesses desde aqueles idos de antigamente...

Pois bem. Um belo dia, em Beagá, levo a mamadeira para o mimado e ele diz devolvendo a dita e pedindo morninha: -" Mamãe, por que você não compra uma televisão de esquentar ´dedêra´ igual a da vovó?"

Tudo isso pra dizer que a Mamãe ao olhar para seus utensílios como o forno micro-ondas, a máquina de lavar pratos e a máquina de lavar roupas (mora na fazenda mas sempre foi avant gard) lembra de seus invetores e reza ao Pai do Céu agradecendo pelas suas invenções que vieram para facilidar a nossa lida doméstica. A Minha Mãe é uma benção e esses inventores uns abençoados por Deus.

E foi disso que me lembrei ao ver a sua foto da máquina de costura que deve ter traçado muitas linhas em panos e panos, inventando caminhos que não sonhou sua vã filosofia iriam percorrer os seus pontinhos...

Carinho.

Antu

Priscilla Castro disse...

Olá!!
Passeando pelo mundo dos blogs encontrei o seu, e não é que eu gostei dele?!
Nossa hiper fofo, cheinho de coisa boa! E mais adorei o jeito que vc escreve, continue assim!!!!
Amei a foto e sua história!!!!

Mil bjos!!!!
http://castro-pri.blogspot.com/