terça-feira, 21 de outubro de 2008

Dói. Mas passa. Ou não...


Ta certo. Tem hora que a gente exagera. Você bem que tentou não errar na mão. Postergou inclusive as decisões, mas o cara era insistente. Vai ver queria mesmo um sacode. Mas... Tem sempre um "mas". E admitir que cometeu um erro não é coisa à qual se acostume assim, facilmente, como se fazer um mea culpa fosse a coisa mais natural do mundo. Quase sempre dizer "ops! errei..." não é lá muito aprazível. Mas admito, eu, que nos últimos tempos ando mais mole, isso faz um bem danado.

Pode doer na hora. Aliás, dói mais na hora em que a gente sente que carregou na mão e que aquelas quatro ou cinco palavrinhas poderiam bem ter sido contidas. Poderiam, né. Mas já foi. Já era, amigo. Dói muito momentos antes de se tomar a decisão de fazer o óbvio: pedir desculpas.

E não vale aquela desculpinha besta, tipo "oi, foi mal". Na verdade, o pedido de desculpas requer quase um ritual interior. O sujeito vai primeiro se acostumando com a idéia. Isso vai fazendo com que seu ego inflado vá murchando aos poucos, sabe? A fase seguinte é de adormecimento diante da conclusão inevitável: "o pedido de desculpas deve ser feito porque isso fará bem ao próximo e liberatar a sua alma". Olha só que frase mais transcedental! É quase um mantra! Pois o próximo passo é recitá-lo interiormente até que uma onda de otimismo se sobreponha totalmente à sua vontade de fazer de conta que nada daquilo aconteceu e que esse papo meu ta qualquer coisa, enfim que estamos muito além de Marraquesh.

Resistiu à tentação? Pediu desculpas em alto e bom som? Ou em letras compatíveis com a capacidade de enxergar do olho humano? Sentiu? Agora nem doeu né?

Ahã. Vaii dizer isso pro seu editor-chefe agora querido. A edição do jornal fecha em dois dias e sua reputação depende disso. Ou pelo menos a sua consciência como jornalista. Doído mesmo vai ser fazer o seu chefe entender.

Até amanhã.



2 comentários:

Mulher Mineira disse...

Olá Lili.... Vi seu blog na news do PQN. Como voltei a blogar hj, busco alguns blogs interessantes para comentar e encontrei o seu. Cara, pedir desculpas é ruim em qualquer o acsião, ainda mais para o editor chefe... hehehehe
Mas, boa sorte!!!
beijos

Cadinho RoCo disse...

No jronalismo há uma vaidade que emperra muito do que pderia ser feito em favor da um convívio mais saudável entre profissionais da área. A propósito, sou jornalista no estaleiro.
Cadinho RoCo